Google+ Badge

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Conclusões inventadas (ou como se deve ouvir primeiro)

Conclusões Inventadas

A família jantava tranquilamente quando, de repente, a filha de 12 anos comenta:
- Tenho uma má notícia. Já não sou virgem! Sou uma vaca! E começa a chorar convulsivamente, com as mãos no rosto.

Silêncio sepulcral na mesa! De repente, começam as acusações mútuas:
- Estava-se mesmo a ver! - diz o marido à mulher. É por te vestires como uma puta barata e arregalares o olho ao primeiro imbecil que vês na rua. Claro que isto tinha que acontecer. Com o mau exemplo que dás à menina todos os dias!...

E vira-se para a outra filha, de 25 anos, e diz-lhe:
- E tu também lhe dás um péssimo exemplo. Ficas no sofá a lamber aquele palhaço do teu namorado com pinta de chulo, na frente da menina...

A mãe não aguenta mais e grita:
- Ai é?!... E quem é o putanheiro que gasta metade do ordenado com putas e se despede delas à porta de casa? Ou pensas que eu e as meninas somos cegas?... Achas que é um bom exemplo seres porco? E passares os fins-de-semana a veres filmes pornográficos de 5ª categoria?

Desconsolada e à beira de um colapso, com os olhos cheios de lágrimas e a voz trémula, a mãe pega na mão da filhinha e pergunta-lhe baixinho:
- E como é que isso aconteceu, minha filha?

Entre soluços, a menina responde:
- Foi a professora que me tirou do Presépio!... A Virgem agora é a Luísa. Eu sou a vaca!!!


Nota: Email passado por um amigo, José Cid Proença
Enviar um comentário