Google+ Badge

sábado, 7 de setembro de 2013

Vender sem iPhone- Diferenciação


2 – Diferenciação

Existe de oferta gigantesca de bens e serviços nos dias de hoje. Vejam-se os lineares dos supermercados, os restaurantes perto do nosso local de trabalho, a enormidade de produtos bancários e de seguros. Difícil escolher. Muitas vezes ficamos até baralhados, confusos. Nestes casos pode acontecer uma de duas coisas: desistimos da compra ou mantemos a oferta. Dizem alguns especialistas que quando a oferta é superior a 7 itens, já temos dificuldade em ordenar, em escolher.

Quando concorre com outros vendedores, com outros prestadores de serviços, etc…muitas vezes a oferta é a mesma. Se não é no momento, será num curto espaço de tempo, porque as ideias copiam-se.

A grande vantagem que o seu “BEM / SERVIÇO” pode ter, será sempre você. Porque voltamos sempre ao mesmo restaurante, ao mesmo café…porque recorremos, em caso de aperto, aos mesmos profissionais?  É a diferenciação que eles nos dão, a qualidade do serviço que ELES colocam

Há algo que a tecnologia ainda não consegue substituir: o seu EU profissional.




João Paulo Marques 
O tempo não pára, não pare você também.

Políticos e a falta de ética

Uma das candidatas à junta de freguesia de Santa Maria dos Olivais aproveita as paredes do infantário “O Bosque” para colocar lá uma lona com a sua publicidade. Quer apanhá-los novinhos?  Que mais falta de sentido…ajudaram.me com a palavra  ÉTICO

VENDER sem iPhone - Identificar a pessoa certa

VENDER sem iPhone

Vender, mesmo com todas as evoluções tecnológicas que aparecem todos os dias, tem muito de nós.

Tornar a venda prática, simples, com linguagem correcta e não cheia de adjectivos,  com um discurso articulado , límpido e claro…ajuda a ganhar o SIM da parte do Cliente para que a sua proposta seja concretizada

Proponho-me a apresentar algumas dicas. Vamos ver quantas saem.

1 -  Não perder tempo

O facto de termos reuniões com quem não decide, como muitas vezes nos é proporcionado, só nos faz perder tempo. Várias vezes, infelizmente,  tive reuniões com profissionais que mal conheciam as suas funções. Falo de estagiários, pós estagiários e, pasme-se, com secretárias…

Estas reuniões, muitas vezes, só nos fazem perder tempo, eventualmente, e podemos assim hipotecar uma próxima visita. Isto porque já lá estivemos.

Lembro-me de algumas reuniões em que estive. A conversa com os interlocutores era pautada por várias interjeições  e exclamações de surpresa.  Na verdade tudo o que eu fazia parecia ser novidade para eles. O que acontecia, pura e simplesmente, era a extrema juventude e / ou inexperiência de quem estava na outra cadeira.




João Paulo Marques
O tempo não pára, não pare você também.

terça-feira, 3 de setembro de 2013

João Sem Medo

Encontro-me no “Pitéu” com o livro do José Gomes Ferreira, as “Aventuras de João Sem Medo”, sobre a mesa. Tenho-o comigo porque o comprei para oferecer. Vou aproveitar a “boleia” de um amigo para o levar.
Mas o engraçado foi: um dos empregados, cujo nome não me lembro, disse-me:
- Acabei de ganhar esse livro.
- Então, retorqui eu

- É que estão ali o filho e a neta dele, frequentadores assíduos da casa. Disse-lhes que estava esse livro numa mesa e que eu não o conhecia.  E assim ganhei um .