Google+ Badge

quinta-feira, 25 de março de 2010

Nos seus negócios peça ajuda. Seja um macaco

Nos seus negócios peça ajuda. Seja um macaco.


Nada é permanente neste mundo cruel. Nem mesmo
os nossos problemas". Charles Chaplin


muitos empreendedores, comercias e todos aqueles a quem cabe a promoção de um negócio que têm uma atitude, digamos que passiva, na promoção e desenvolvomentodo seu negócio. Utilizam a publicidade, compram espaço, produzem brochuras, flyers, frequentam congressos, feiras, apresentam-se, trocam cartões de visita, mas o negócio não se desenvolve. Parece tudo bem feito e está. Mas falta, na verdade, encarar o Cliente de frente.

Existe alguma relutância por parte de qualquer tipo de profissional, mesmo os melhor preparados tecnicamente, em pedir ajuda. Pedir ajuda para os mais variados aspectos e tarefas. Porquê?

Por várias razões. Pode ser por vergonha, por medo de pensarem que não se está preparado, que o seu negócio está a falhar, etc.

Talvez seja a hora de tomar a iniciativa para dar uma nova vida ao seu negócio, ao seu trabalho e a si. As sugestões são simples, mas podem funcionar.

1- Peça ajuda
Pode começar pela sua rede de amigos, família, pessoas que lhe são mais próximas. Eles estão ciosos que lhes peça isso. Explique-lhes o que você faz, o que pretende, que mercados lhe são mais interessantes. Diga-lhes para ele espalharem a sua boa nova, o que você faz.
Sobretudo, não se envergonhe de pedir. Profissionais com muito mais sucesso que você FAZEM-NO. Pedir ajuda não é um comportamento desleal para com o mercado.

2- Seja específico
Seja específico, concreto e assertivo no que pede. Não deixe que o seu pedido seja vago.
Em vez de pedir com rodeios (sobretudo à sua rede de contactos mais próximas) para ser apresentado a alguém: “ Quando te for possível e tiveres oportunidade, apresentas-me o Sr. X.” Peça de modo a não deixar dúvidas: “ Podes apresentar-me ao Sr. X, ele é muito importante para o crescimento do meu negócio.”
Aliás esta regra do ser específico quase se trata de uma regra para a vida e para as situações que ela nos propicia.

3 - Retribua ou tome a iniciativa de recomendar Clientes
Quando este comportamento acontece torna-se mais fácil pedir por ajuda. Quando falamos com interlocutores, sejam eles Clientes, potencias Clientes ou apenas contactos que se fazem sem vislumbrar alguma hipótese de negócio, ofereça-se para ajudar. Um simples " O que eu posso fazer por você?" O simples mostrar de interesse pela sua parte, despertará o interesse do interlocutor.
Profissionalmente e, muitas vezes, de forma inesperada já fui alvo deste tipo de comportamento e soube-me bem!

4 - Faça pedidos apropriados ao relacionamento que possui
Antes de pedir ajuda para o que seja, certifique-se que o momento é o adequado, que o relacionamento que existe permite que o faça.
Muitas vezes dentro de um mesmo sector de actividade, há empresas que apenas respondem a um tipo de negócio e esses interlocutores podem ser uma boa fonte de troca de contactos. Com concorrentes directos e que tenham sucesso, mostre interesse junto deles em saber como eles fazem o seu trabalho...pode sempre aprender novas técnicas, chegar a novas fontes...ao fim ao cabo, APRENDER. Muitos profissionais gostam de ensinar, de ajudar, de serem úteis.
Já o fiz; já me fizeram.

5 - Faça já e sempre

Não aguarde que o seu negócio cresça para ganhar peso e importância para poder pedir. Não aguarde que os seus Clientes, amigos, que a sua network entre em contacto consigo para pedir, tome você a iniciativa. Quem sabe eles não estão à espera de lhe pedir ajuda também.
Pedir ajuda não é uma fraqueza, uma deslealdade. Deixe-se do .."Faço eu tudo sozinho"

6 – Não tente ser esperto e desleal
Há mercados muito pequenos, há grupos profissionais muito pequenos. Mesmo não sendo, uma postura menos séria pode arruinar a sua carreira nesse mercado.

Quando os macacos se sentem em perigo, o reflexo imediato é juntarem-se todos e catarem-se uns aos outros. Não reduzem o perigo, mas reduzem a solidão. Porque os humanos se refugiam e isolam em situações semelhantes?

PS:
1)
Numa leitura no DN apanhei este excerto: Constroem instrumentos,, caçam, cooperam, distinguem os efeitos das suas próprias acções, estão sugeitos a crises de meia idade e sabem o que é justiça.
2)
Quando os macacos se sentem em perigo, o reflexo imediato é juntarem-se todos e catarem-se uns aos outros. Não reduzem o perigo, mas reduzem a solidão. Porque os humanos se refugiam e isolam em situações semelhantes?


João Paulo Marques
O tempo não pára, não pare você também.
http://www.linkedin.com/in/joaopmarques
@joãodavespa