Google+ Badge

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Tao Te Ching - Versículo 15


Versículo 15

Lao Tzu
Os mestres da antiguidade eram profundos e subtis.
A sua sabedoria era insondável.,
Não existe forma de descrevê-la.
Só é possível descrevê-los vagamente pela sua aparência.

Vigilantes, como homens que atravessam um ribeiro no Inverno.
Alerta, como homens conscientes do perigo.
Simples como madeira virgem.
Vazios como cavernas.
Complacentes como gelo prestes a derreter.
Amorfos, como água turva.

 Mas até as águas mais turvas se limpam, mesmo paradas.
E dessa quietude nasce a vida.

 Aquele que guarda o Tao não deseja a plenitude.
Mas, precisamente por nunca ser pleno,
pode permanecer como um rebento escondido
e nunca correr para um amadurecimento precoce.
Enviar um comentário