Google+ Badge

quarta-feira, 23 de julho de 2014

DES(PROCRSTINAÇÃO) OU COMO PARAR DE PROCRASTINAR


DES(PROCRSTINAÇÃO) OU COMO PARAR DE PROCRASTINAR

Reaja. Enfrente o seu dia a dia, todos os dias!

Keywords: procrastinação, acção, proactividade, gestão, do it

(Retomo / republico um texto que meu que apareceu no “Expresso do Sul” )

Retorno novamente a um tema anterior em que vos falava da maldita Preguiça, da Prudência e de Procrastinação. Em regra, os inícios do ano, do ano escolar, aniversários são alturas em que pretendemos mudar algo em nós. Mas poderemos ter sempre esta perspectiva de mudança e consequente melhoria em qualquer altura do ano ou da vida.

Para além das múltiplas razões que podemos ter (ou pensar que temos) para adoptarmos um comportamento mais laxante… sempre podemos fazer algo para contrariar este processo.

É claro que toda a envolvente profissional e social, com que lidamos no nosso dia a dia, poderá empurrar-nos para a maldita da preguiça; todavia, há sempre alguns comportamentos / processos que poderemos desenvolver para podermos reagir.

Aqui vão:

- Mantenha a secretária limpa, arrumada, sem papelada inútil; ajuda-nos a encarar com mais empenho o dia de trabalho e a tomar as decisões que devem ser tomadas. Se lhe for difícil diariamente proceder desta maneira, limpe-a todas as semanas.

- Estabeleça objectivos claros e realistas, mas um pouco ambiciosos. Mantenha um compromisso com eles. Assine esse contrato consigo. Mas arranje também outro signatário, se for preciso.

- Estabeleça prazos de início e de conclusão. Dentro deste período divida as tarefas. Pequenas tarefas são mais fáceis de vencer e ajuda-o a progredir. Monitorize o seu progresso. Se houver necessidade, reformule os objectivos. Estabeleça outros prazos. Mas sobretudo, NÃO SE ENGANE A SI MESMO.

- Estabeleça prioridades. Passe-as para uma lista. Hierarquize-as pela ordem de importância. Comece pela primeira da lista no início do dia altura em que temos mais energia e recursos. Deixe as mais agradáveis para o fim. No entanto, se reconhecer que o seu pico de energia está noutro período do dia, ataque as tarefas mais exigentes nessa altura.

- Estabeleça pistas ou lembretes para chamar a atenção ou para lembrar algo, colocando-as em lugares visíveis ou de passagem.

- Reduza as distracções, o que pode passar por se isolar durante alguns períodos, desligar o telemóvel, não responder a e-mails durante um certo período do dia ou mesmo desligar o PC.

- Dedique 15 minutos nas tarefas que tem vindo a adiar. Quem sabe se ao envolver-se no assunto não ganha um novo entusiasmo para o acabar de vez. Algumas vezes, à medida que se envolve nos problemas, eles ganham uma certa beleza e transmitem-lhe uma motivação inesperada.

- Pense positivo ao invés de pensar negativo. Assim, ganha motivação e ânimo, ou, pelo menos, não os perde. Porque, quanto mais rapidamente terminar-mos a tarefa, mais depressa nos vamos divertir ou passamos para outra.

- Encare a vida como um desafio e uma oportunidade de desenvolvimento. Conheça os seus pontos fortes e fracos. Para estes, trabalha para os melhorares. No que diz respeito aos pontos fortes, recorda-os para te darem ânimo, mas procura sempre melhora-los. Não há varinhas mágicas, mas sim trabalho que pode necessitar de algum atrevimento ou encerrar algum risco ou desconforto. No entanto, o gozo retirado da etapa vencida com sucesso é recompensador, em regra.

- Delegue ou peça ajuda. Há tarefas que os nossos colaboradores (ou colegas) desenvolverão com muito mais entusiasmo do que nós. Igualmente, há obrigações que apenas conseguirão ser executadas a duas mãos. Por outro lado, há tarefas que com a ajuda de alguém mais experiente ou rotinado será executadas mais depressa e sem erros.

- A procura do perfeccionismo muitas vezes não é necessária, entendida ou mesmo, não é possível de ser atingida. Em princípio, pode ser melhor acabar 6 tarefas com um nível de qualidade elevado do que acabar apenas uma, estando esta perfeita. Lembre-se, “O óptimo é inimigo do bom”.

- A maneira de atacar as tarefas pode ser a chave de como as mesmas se vão desenrolar. Se pensar que seria vantajoso proceder de uma determinada maneira, diferente da habitual, estará a eliminar barreiras psicológicas.

- O não fazer nada (temporariamente) também pode ser uma solução para atacar posteriormente as tarefas. Pode estar naquele dia em que nada lhe sai bem. Eventualmente, o melhor é desligar nesse dia e atacar o projecto no dia seguinte com força, entusiasmo e motivação.

- A auto-recompensa tem um efeito poderoso. Por cada tarefa ou conjunto de tarefas ultrapassadas, celebra, orgulha-te. Não minimizes as tuas vitórias, nem deixes que os outros o façam.

Poderia referir mais algumas técnicas. Todavia, penso que aqui já tem algumas boas soluções. Ponha-as em prática. Sobretudo, não se engane a si nem aos outros.

PS: Mau exemplo que estou a dar. Pego num texto antigo...
 

João Paulo Marques

O tempo não pára, não pare você também.



@joaodavespa @joaobeasii
Enviar um comentário